Arquivo

Archive for the ‘Personas’ Category

Eiry Souldragon

Nascido em um berço de ouro e herdeiro do nome de uma família de magos muito conhecida dentro do reino de Lérien o pequeno Eiry jamais sonharia com o destino que lhe aguardava. Os poderosos membros da família Souldragon de uma hora pra outra o abandonam num orfanato quanto tinha apenas sete anos de idade.

Eiry via os anos passarem e foi perdendo a fé de que um dia seus pais poderiam ir buscá-lo. Durante os anos em que passou no orfanato, mesmo sendo muito reservado, pode fazer algumas amizades e aprender muitas coisas interessantes, uma vez que era facilmente dominado pela sua curiosidade e não media esforços na hora de estudar para aprender algo novo.

Ele, assim como as outras crianças, fora obrigado a deixar o castelo de uma maneira estranha. Depois de alguns anos ele encontra um homem de meia idade chamado Déurus que o criou como fosse seu próprio filho.

No inicio seria difícil a convivência, mas logo se acostumariam. Déurus começou a ensinar Eiry sobre magia, viu que o garoto levava jeito com a coisa, conforme os anos iriam passando as habilidades de Eiry evoluíam. Déurus reparou que o jovem se dedicou de tal forma ao aprendizado para esquecer que ele tinha sido abandonado por sua família, a solidão que ele sentia foi trocada por concentração e treinamento árduo. Ele não demonstrava nada. Nenhum tipo de sentimento com a
s pessoas além de seu pai adotivo e para com ele mesmo, ele se tornou frio.

Sempre dedicado nunca deixava algo sem terminar, não importava o que fosse ele iria até o fim. Seu maior sonho é ser reconhecido pela sua família que o abandonou.

Durante seu treinamento ele ganhou três marcas de seu pelo corpo como se fossem tatuagens, era uma em cada mão e a outra nas costas pro lado do ombro esquerdo, e cada uma delas tinha seu significado que ele ainda não sabia, pois seu pai adotivo lhe falou que ainda não era hora para que isso lhe fosse revelado…

Feowyn Endil

Nascido em um pequeno vilarejo élfico localizado ao norte de Lérien, dentro dos limites da grande floresta de Lothlórien. Filho de Adranian Endil e Liarandi Endil, ambos mortos na calada da noite por criaturas humanóides semelhantes aos elfos, mas completamente dominados pelas trevas do grande abismo.

Feowyn sente arrepios toda vez que se lembra daquela noite terrível. Ele não conseguira ver completamente as criaturas, pois usavam trajes negros que cobriam todo seu corpo deixando aparecer somente enormes garras em suas mãos com as quais dilaceraram os corpos de seus pais e, da mesma forma como surgiram, eles desapareceram em uma fumaça negra.
Durante o ocorrido, o pequeno garoto não conseguiu sequer se mover, talvez por algum encanto ou talvez somente o medo, afinal, ainda era um garoto de apenas 6 anos.

Sendo ele filho de uma longa geração de filhos únicos foi levado por Erdan, um velho clérigo e melhor amigo de seu pai a um orfanato chamado A Capela, passando boa parte de sua vida naquele local. Com muito ódio e com uma enorme sede de vingança que vinha alimentando seu coração, ele deixou o orfanato aos 21 anos de idade durante estranhos acontecimentos que obrigaram todos que habitavam aquele local a sair desesperadamente apressados.
Feowyn, deixou o local ajudado por uma senhora que ele sempre estimou como sendo uma espécie de “matriarca” do local, a qual ele viu morrer ao ser transformada em uma estátua de gelo por uma mulher humana que eles tiveram o azar de encontrar durante sua fuga.

Três anos depois de sair do orfanato, ele resolveu voltar para o vilarejo onde nasceu reencontrando Erdan, seu velho conhecido o qual, seguindo os últimos desejos de seu pai, Adranian Vandrói, ensinou tudo sobre a vida devota de um clérigo, fazendo com que pouco a pouco o ódio do passado deixasse seu coração.
Os dias passavam e Feowyn a cada dia sentia maior vontade de seguir os caminhos da fé e aprender sobre os poderes que os deuses nos deixavam usufruir uma vez que os seus devotos decidiam pregar seus ensinamentos e repassar seus passos.

Quatro anos após sua chegada no seu vilarejo, agora com 28 anos de idade, é nomeado clérigo, devoto de Farius e Keera, seguindo sempre o caminho que lhe fora ensinado, ajudando os necessitados e repassando seus conhecimentos por onde quer que andasse.

Certa noite, Feowyn vê em seu sonho o espírito de sua mãe, que lhe conta uma história dizendo que um mau misterioso se aproxima do reino e que ele seria de grande importância para evitar que um destino terrível aconteça.
Após isso, Feowyn decide que é chegada a hora de deixar a segurança de seu lar e seguir um destino que agora, mais do que nunca, ele sabia que lhe estava reservado.

Garen de Vermec

Filho de Ronan de Vermec,  um exímio espadachim que era conhecido por todo o norte de Lérien na região de Leyas, grande cidade regida por Loreno de Val’aar.

Garen perdeu seus familiares tragicamente durante uma devastadora invasão de uma horda de saqueadores, seu pai Ronan lutava para defender o pequeno vilarejo, porém sozinho logo teve suas forças esgotadas e nada mais pode fazer a não ser pedir para que as bençãos de Magnus caíssem sobre sua família e eles fossem poupados.

Além de matá-lo, um grade homem ruivo, que usava roupas escuras cheias de adornos, abusou sexualmente de sua esposa e filha e as matou usando a arma de ronan: “Garen”, uma Espada  Bastarda muito bem balanceada, feita pelo próprio Ronan que a batizou com o nome do seu filho. Para Garen seu pai morreu heroicamente, mal sabia ele que seu pai realmente era um grande herói que prestava serviço para a nobreza de Leyas e que por lá era conhecido como “Lamina do Julgamento”.

Garen perdeu sua família e lar em uma só noite, na verdade em apenas alguns minutos. Arrasado e abalado acabou sem forças para resistir e foi levado pelos saqueadores para ser vendido como escravo nos reinos do continente leste., porém, para a sua sorte, a jornada dos ladrões fora interrompida em uma investida de orcs errantes que acabaram dizimando quase todos eles. Garen conseguiu escapar em meio à confusão e caminhou na noite ate cair desacordado.

Foi acolhido por uma pessoa que colhia frutos silvestres e levado para um orfanato, onde conseguiu aprimorar suas habilidades em combate, apesar dos duros treinamentos que foi submetido durante o tempo que passou lá.  Garen viveu nesse orfanato ate completar 15 anos, sempre notando que aquela estranha pessoa que o acolheu sempre o guardava a distância, e sempre que podia falava paraa ele seguir sempre o caminho do bem e da verdade que um dia ele seria como o pai dele.  O jovem tomava isso como uma grande motivação, o que ainda, as vezes, o fazia ter curtas lembranças sobre seu pai.

Um certo dia ele notou uma movimentação diferente e aquela estranha mulher o tirou para fora do orfanato junto com algumas outras crianças¹. Depois disso Garen vai para Leyas e começa a executar pequenas missões nos arredores da cidade para conseguir sobreviver.
Assim foi crescendo e, junto com ele, sua experiência em combate. Quando completou 27 anos um flash perturbador da morte dos seus pais invadiu sua mente. Garen, um sujeito corajoso, sociável e prestativo, agora busca a justiça pela espada, para recuperar a honra que foi tirada do seu pai, mãe e irmã naquela noite sangrenta no vilarejo de Vermec…

¹ – Vide Prólogo do Diário de Campanha referente à Campanha “O Último Ritual”.