Arquivo

Posts Tagged ‘Materiais’

Materiais – Tecidos

11/02/2010 8 comentários

Os Materiais em Khali carregam em si uma pequena quantidade de anima o que ocasiona em pequenas mudanças mágicas naquelas pessoas que os portam.

Os principais materiais que recebem classificação especial são os Tecidos, os Metais e as Madeiras, cada um com suas peculiaridades e definições próprias.

 

Aqui deixaremos explicações básicas sobre os aspectos de cada um dos Tecidos, bem como suas propriedades naturais e seus principais locais de fabricação.
Os tecidos são muito usados em todo mundo, pois tratam de serem aplicados na fabricação de 90% de todas as vestimentas do mundo.

Tecidos:

 

Paon – O mais simples e comum dos tecidos de Khali, é feito dos fios e fibras que sobram na produção dos tecidos mais nobres, tem a vantagem de ser prático e de fácil fabricação, porém não pode ser tingido ou confeccionado em maiores detalhes. Pessoas em toda Khali usam o Paon como vestes básicas.

Lhan – Derivado do pelo das ovelhas de pasto, é bastante usado por servir como isolante térmico, é também elástico e não amassa. A produção das ovelhas se dá na maioria dos reinos em Khali, mas é predominante em Armétia, onde sua produção é tida como altamente benéfica, chegando a ser motivo de status social.

Velis – é um tipo de tecido, natural ou sintético, com seu lado avesso liso e o lado externo coberto de pelos cerrados e curtos. É um tecido relativamente caro, sendo considerado um artigo de luxo para os menos favorecidos assim como a seda. Velis foi criado em Kah Lad, onde se dá sua maior produção, a cidade de Sol, por ter fácil acesso ao mar, fez da exportação de Velis uma das maiores atividades do reino.

Alcot – Tecido branco proveniente do tratamento das fibras adquiridas de frutos chamados Eramins, que nascem em pequenos arbustos predominantemnete nas regiões centrais de Aura e Mithra.

Selvi – A selvi é uma fibra usada na manufatura de tecidos, obtém-se a partir dos casulos da Ahsnelis, as mariposas símbolo do reino de Isshin. A fibra de seda natural é um filamento contínuo da proteína, produzido pelas lagartas de certos tipos de mariposas, sendo uma das matérias-primas mais caras. As lagartas expelem através das glândulas o líquido da seda envolvido por uma goma  que se solidificam imediatamente quando em contato com o ar.
A seda tem uma aparência cintilante, devido à estrutura triangular da fibra, parecida com um prisma, que refrata a luz.
Esse material é muito valioso e fabricado em grande escala pelo reino. Acredita-se que eles fabricavam esse tipo de tecido desde os tempos primordiais.

Linhas – São plantas herbáceas que chegam a alcançar 2 metros de altura, tem o caule longo, fibroso e cheio de ramos que terminam em pequenos botões de onde surgem suas flores. Compõe-se basicamente de uma substância fibrosa, da qual se extraem as fibras longas para a fabricação de tecidos de mesmo nome. Este é um tecido nobre, que exige certa habilidade manual para ser confeccionado, o que faz do elfos, por serem mais ligados com a natureza e exímios trabalhadores manuais, seu maiores produtores. Consequentemente, o reino que mais produz o Linhas é Lérien, e seu rei sabe fazer bom uso disso para aumentar o capital de seu reino com as exportações.

Subdivisões dos Tecidos:

 

Deosl – É o tecido bruto, puro, sem nenhum adorno ou complemento material para incrementar a qualidade das fibras ou até mesmo o visual da veste. A única modificação que se costumam fazer nos tecidos é o tingimento de algumas peças.

Gaienis – É quando um tecido é criado magicamente, feito da combinação das fibras variadas e de anima puro, esse tecido é muito raro e seu uso como vestes simples chega a ser discriminado por algumas sociedades, pois para muitos não se tolera o uso disperdiçado de energia dessa forma.

Merena – São as manufaturas mais nobres de todos os tecidos, Sendo trabalhados com o mais perfeito cuidado e afinco, buscando o melhor laçado entre as fibras e a maior ligação entre a anima contida até mesmonas menores peças. São os tecidos mais nobres conhecidos.

Anúncios
Categorias:KHALI, Materiais Tags:,

Dinheiro em Khali

A evolução do uso da “moeda” em Khali se deu de maneira diferente do que na maioria de outros mundo de fantasia.

Tudo começou quando um anão minerador chamado Anelin, descobriu por acaso uma jazida de um mineral novo e muito raro nas profundezas das Cordilheiras Sangrentas, onde poucas pessoas ousam se aventurar devido às terriveis criaturas que habitam tais montanhas.

Esse novo material, que foi chamado de Anelinthium mais tarde viera a substituir as até então usadas “Trocas” de materiais, que regiam a primitiva forma de comércio entre os habitantes do mundo.
Muita confusão fora gerada no começo, pois o material era passado a frente sem qualquer tipo de organização, não tinha um padrão.
Foi então que outro anão, Foritus Beerman, mais jovem e com outro tipo de pensamento, resolveu este problema quando decidiu que a “moeda” a qual ele nomeou de “Lins” (uma simplificação do nome do mineral Anelinthium), seria dali em diante um pequeno cristal lapidado e pesado e que passaria a ser distribuído em “quantidades” equivalentes.
Muitos anos depois das descobertas e invenções dos anões, a economia local acabou se estabilizando e chegando a um patamar fixo onde cada coisa tem um valor pré-estabelecido, e partindo deste, cada comerciante sente-se livre para distribuir seus preços da maneira que achar conveniente.

Curiosidades:

O brilho do Anelinthium é algo único, ele reflete a luz que recebe como um brilho ora roxo, ora azul claro. O faz o tempo todo, em lugares com pouca luminosidade ele parece emanar uma leve luz que aparentemente reserva dentro de si, fazendo com que em ambientes mais luxuosos as pedras sejam lapidadas em forma de velas ou lamparinas e usadas para iluminar automaticamente o lugar durante a noite.

Durante aventuras em lugares remotos, alguns exploradores já encontraram diversas armas confeccionadas com o material Anelinthium. Facas, Adagas, pontas de lanças e de flechas são colecionadas hoje em dia por aventureiros que buscam ítens raros e mágicos mundo a fora.
Ninguém utiliza armas feitas de Lins porque a cultura dos povos em Khali rejeita seu comércio como moeda caso ele esteja riscado, gasto ou sem seu magnífico brilho.

Se a cobiça em Khali tem um ponto fraco, esse ponto fraco são as esplêndidas jóias de Lins, anéis, pulseiras, brincos, colares e afins feitos de lins podem atrair ladrões de todas as partes do mundo, pois são extremamente valiosos devido à técnica exigida para que se molde a jóia no formato desejado. Poucas pessoas no mundo são capazes de confeccionar tais ítens fazendo com que seu preço se eleve, muitas vezes ultrapassando o valor bruto que a peça teria se fosse lapidada e pesada como os cristais-moeda.

Material-não-reciclável. Os cristais são resistentes e duráveis e por serem um mineral, não é possivel derretê-los para a fabricação de novas moedas, portanto todo material que sobra depois da confecção de cristais-moeda, jóias ou armas, praticamente não tem maior utilidade, deixando espalhados pelo mundo vários cacos de lins os quais são usados por pessoas de classes mais baixas da mesma maneira que as da classe de elite: como luminárias. Eles juntam todos os cacos que encontram pelo chão e os depositam em incençários ou potes de vidro e os colocam para iluminar seus lares.

Obs: 1 P.O no Sistema d20 de RPG equivale a 10 Lins, enquanto que 1 P.P equivale a 1 Lins, caso o objeto tenha um valor menor que estes, ele pode ser comercializado por lins de brilho menor, quebrado, riscado ou que teve algum erro no processo de fabricação.

Categorias:KHALI Tags:,